Lista de 23 Brinquedos antigos: Relembre os Brinquedos de antigamente

Conforme o tempo passou, muitas coisas também acabaram mudando, e nem mesmo as formas de se divertiram escaparam disso, influenciando diretamente naquilo que as crianças das atuais gerações conhecem e utilizam.

Mas é bem verdade que os Brinquedos antigos fizeram sucesso e, ao menos alguns deles, ainda são constantemente lembrados. Para conferir mais de perto, listamos abaixo os principais deles para seguir dando uma olhadinha:

Bilboquê

Bastante antigo, existem registros que mostram que o Bilboquê já era utilizado desde o século XVI, e com certeza quem viveu a partir da década de 70 ainda consegue se lembrar muito bem dele, visto que foi um brinquedo muito popular.

Ele é, basicamente, formato por uma bolinha que é conectada por um fio a uma outra ponta, propondo o desafio de lançar a bolinha até que ela se encaixe perfeitamente com a outra parte. Inclusive, algumas pessoas reproduzem a ideia com garrafa pet, sendo possível propor essa como uma atividade para as crianças hoje.

Peteca

Outro brinquedo antigo que teve uma grande popularidade foi a peteca, um brinquedo de origem indígena, o que explica a presença de penas em sua parte superior, visto que esse era um material frequentemente utilizado por esses povos.

A prática se parece bastante com o que conhecemos hoje como tênis, visto que o brinquedo deve ser lançado para o outro lado de uma rede e ganha o jogador que não a deixar cair no chão, podendo ser utilizado um esquema de pontos para a diversão durar mais tempo.

Tamagotchi

O Tamagochi, por sua vez, é um jogo onde um bichinho virtual aparece na tela e demanda nossa atenção para realizar tudo o que ele precisa, incluindo cuidados como banho e alimentação, além de carinho.

Essa foi uma forma muito adotada pelos pais para gerar um maior senso de responsabilidade nas crianças, que de forma lúdica aprendiam mais sobre o cuidado com o outro, tendo feito o jogo virar uma verdadeira febre.

Pião

Originalmente feito de madeira, o pião é um brinquedo ligado a um cordão consideravelmente extenso, que deve ser enrolado em um dos dedos para que possa lançá-lo ao chão, ou qualquer outra superfície como a mão, e seguir controlando os movimentos.

E acredite, por mais que possa parecer simples, não é tão fácil assim brincar com o Pião, mas com a prática não há dúvidas de que possa conseguir e se sair muito bem!

Ioiô

Um outro brinquedo antigo que precisamos enrolar no dedo para jogar é Ioiô. Após prender corretamente, basta lançar no sentido do chão e, antes que o toque, voltar para a mão de acordo com o impulso do item.

É preciso ter certa habilidade para que possa fazer isso por diversas vezes consecutiva, mas quando aprender, ficará ainda mais divertido.

Aquaplay

Eu confesso que amava o Aquaplay! Esse é um joguinho que conta com água no seu espaço interno e, a partir do botão localizado na frente do brinquedo, podemos fazer as argolinhas presentes dentro dele se movimentarem em meio a água.

Além de ser divertido, ele consegue trabalhar a coordenação motora das crianças, assim como manter o foco delas por mais tempo, inclusive longe de telas.

Beyblades

Muito usada entre grupos de amigos para disputas entre si, as Beyblades passou a ganhar destaque pela fama do anime que tem o mesmo nome. A ideia é que sejam lançadas simultaneamente por você e um adversário para que girem e batalhem.

A última Beyblade a continuar girando é a que vence, e nas normas mais comuns tem o direito a adquirir o brinquedo do adversário também.

Vai e vem

Ideal para exercitar a coordenação motora, é bem provável que os seus pais ou ao menos avós já tenham brincado de Vai e vem, onde duas pessoas devem participar, considerando uma em cada uma das suas pontas.

A intenção e que, uma por vez, cada criança tenha direito a um movimento e tente aproximar o brinquedo do outro coleguinha, não havendo perdedores ao final.

Bolinha de Gude

As bolinhas de gude são bolinhas de vidro coloridas, e para usarmos é necessário riscar um círculo no chão, podendo usar giz para isso. Ao final, ganha quem conseguir manter mais das suas bolas, sendo necessário atingir as bolinhas dos oponentes para isso.

Pogobol

Criado na década de 60, o Pogobol fez muito sucesso aqui no Brasil e demanda bastante equilíbrio por parte das crianças, que devem aproveitar as extremidades para tentar se equilibrar, mesmo quando a bola segue em movimento.

Pega Varetas

Eu também amava Pega varetas, um jogo com varetinhas coloridas que precisam ser jogadas sem muito critério em uma determinada superfície. A partir disso, é preciso puxar as varetas sem que mexa nas outras, sendo necessário um grande foco para dar certo.

Boneca Beijoca

Entre as décadas de 70 e 80, a boneca beijoca se tornou uma verdadeira febre, principalmente entre as meninas. Isso se deveu principalmente ao fato de ter um mecanismo que a capacitava dar beijos, gerando muita curiosidade ao longo do período.

Boneco Topo Gigio

Com um olhar gentil e orelhas bem grandes, o boneco Topo Gigio é um ratinho super fofo, que não tem nenhuma habilidade diferente como a boneca beijoca, mas ainda assim ganhou bastante destaque e cativou muita gente.

Boneco Fofão

O Fofão se tornou um boneco bastante conhecido a partir da década de 80, o que motivou a criação do seu boneco. Um detalhe interessante é que sua aparência acabou gerando diversas histórias de terror, fazendo com que hoje o brinquedo já não seja tão bem vista.

Bambolê

Voltado para o malabarismo feito com o corpo, o bambolê é um circulo que deve ser utilizado em partes como a cintura ou até mesmo os braços, tendo como principal intenção deixar o acessório cair. Antigamente, essa era uma atividade bem comum em festas de aniversário.

Tazo

O Tazo era um brinquedo colecionável que costumava estar dentro dos pacotes de salgadinho, o que alavancou bastante as compras no período. Inclusive, ele motivou muitas competições e propôs até mesmo trocas para que fosse possível ter itens inéditos.

Carrinho de Rolimã

O carrinho de rolimã é feito de maneira artesanal com pedaços de madeira que ganha impulso e movimento, sobretudo quando imprime força ou alguém te empurra. O ideal é brincar em áreas planas, evitando que perca seu controle em ladeiras, por exemplo.

Pula Pirata

O Pula pirata tem esse nome pelo fato de que o pirata é colocado em um barril e assim devemos usar as espadas nos espaços destinados para ela. Quando colocamos no lugar errado, o pirata acaba pulando e nos fazendo perder em brincadeira, que costuma ser realizada em duplas ou grupos maiores.

Pula Macaco

O pula macaco é bem parecido com o jogo anterior, mas nesse caso a intenção é soltar os macacos e fazer eles pularem de forma que parem nos galhos da árvore, ganhando o time com a cor que mais acumular macaquinhos presos a ela.

Genius

É possível jogar o Genius tanto individualmente quanto em grupo, sendo uma forma de incentivar a memória das crianças, dentre outras habilidades como o foco. Inclusive, ele foi muito utilizado de forma educativa aos longo dos anos 80.

Gradiente

O Gradiente é um jogo para quem gosta de sons, podendo ser usado tanto para a gravação de sons com o microfone quanto para ouvir músicas com o fone que vem associado. É uma opção divertida, que acabou sendo usada por crianças de todas as faixas etárias.

Pense bem

Pense bem foi o nome dado a esse brinquedo antigo que funcionou por muito tempo como um meio educativo. Semelhante a computadores, ele fazia uma série de perguntas, a exemplo de cálculos matemáticas que podiam ser respondidos através do seu próprio teclado.

Cubo mágico

Praticamente todo mundo já ouviu falar sobre o cubo mágico, principalmente por não ser um brinquedo tão recente assim. Voltado para o raciocínio lógico, interessa principalmente a crianças que mais velhas, que se interessam pelas cores e conseguem se sentir motivadas para fazer a combinação correta.